Foi num destes dias de julho de 2020 que Todd estava bem inspirado e resolveu gravar um vídeo para sua rede social do Instagram. No vídeo ele mostra o processo da arte-finalização de um desenho, que ele estava fazendo para uma futura capa da revista mensal de Spawn. O desenho acabou se revelando ser a capa da edição SPAWN #308 (conforme a gente havia suspeitado) – atualizado 13/07/2020.

Na galeria de imagens mais abaixo vocês podem conferir a imagem da capa… MAS, o que na verdade iremos comentar aqui será sobre um conceito que o mestre Todd McFarlane já iniciou há algum tempo, precisamente a partir do número recorde #300, que finalmente a coisa tomou forma e um nome: o SPAWNVERSO!

Será que este novo desenho do Spawn tem a ver com algum destes Spawns robôs do multiverso do Spawn Mangá?
Atualização 14/07Em nosso grupo do Facebook a galera lembrou desta figura de ação da série 12 da McFarlane Toys. O mostro se chama “TopGun”, criado em 1998. Realmente se parece bastante, mas fico pensando agora se o Todd realmente vai inserí-lo na história ou foi apenas para criar uma capa “maneira” pra revista.

Veja abaixo o panorama do inferno, digo, das capas variantes que o Todd vem desenhando a respeito do Spawnverso que começou desde a edição #301. Cada capa dele tem um Spawn diferente.

302 – Jessica Priest, Mulher-Spawn
303 – Spawn Medieval
304 – Daniel Llanso, Spawn Pós-Apocalíptico
305 – Spawn Medieval (com um novo capacete, ou seria da Era das Trevas?)
306 – Spawn Pistoleiro
307 – Spawn junto ao novo personagem Raptor

Arte finalizada! Aquela imagem acima com o processo da criação era para a capa de SPAWN #308!

Mas o que seria SPAWNVERSO?

Todd McFarlane usou este termo nas redes sociais e nos eventos de quadrinhos que participava mas não é um termo canônico na revista mensal. Foi claramente inspirado no que a Marvel fez para o multiverso do Homem-Aranha (em inglês Spiderverse, onde temos versão Noir, versão 2099, versão Miles Morales, versão Porco-Aranha, dentre outros muitos, saiu como uma saga nos quadrinhos e depois virou filme).

Entretanto, precisamos dizer que não foi a Marvel a primeira a fazer uso destas realidades alternativas, ou do conceito das terras paralelas. A própria DC Comics já era conhecida por usar e abusar disso, em várias de suas histórias, sendo considerado o personagem Flash o pioneiro disso, precisando até fazer um dos primeiros e mais importantes crossovers das HQs, a famosa e grandiosa Crise Nas Infinitas Terras – mas isso é assunto pra outra hora.

McFarlane resolveu adotar algo parecido para falarmos do nosso MULTIVERSO SPAWN – nascia então o SPAWNVERSO!

Compilação das capas de Spawn #300 e #301 desenhado por Jerome Opeña, mostrando um pouco do que virá a ser o futuro do Spawnverso na revista em quadrinho. Consegue identificar todos estes hellspawns? Temos Spawn Ômega, Spawn Pirata, Spawn Pistoleiro, Spawn Nightmare, Spawn Pós-Apocalíptico, Spawn Zumbi, Mulher-Spawn, Spawn Raven, Spawn War, dentre outros.

E talvez deve estar se perguntando; mas o que seria um multiverso?

Então, vamos explicar brevemente: na física teórica existem várias explicações para um possível universo paralelo, um outro universo coexistindo assim como se fosse uma cópia do nosso. Mas este universo teria alguma mudança nele. Talvez suas próprias leis da física, partículas e elementos químicos, até mesmo eventos que tomaram um rumo diferente na história do mundo. Como por exemplo se Hitler tivesse ganho a Segunda Guerra Mundial, eita!

Diferentes nomes existem para estas teorias de multiverso. Caso queira dar uma aprofundada no tema, seguem as teorias mais conhecidas: Teoria-M (ou Teoria das Cordas) e a Interpretação de Muitos Mundos (conhecido pela sigla IMM).

Como e quando surgiu o Spawnverso?

Tudo começou ainda nos primórdios da revista, em SPAWN #2 quando Al Simmons se transformou em Jim Downing. Claro que só descobriríamos isto depois, em SPAWN #185. Mas como ele coexiste no mesmo universo do Spawn e tecnicamente ele só vestiu o traje simbionte sem ter morrido como todos os outros Spawns, vamos deixar ele na reserva (como ele sempre foi).

Ainda nos primórdios da revista, McFarlane acabou chamando 4 roteiristas famosos para ajudá-lo a contar sobre o mito de Spawn. Os nomes são: Alan Moore (edição #8), Neil Gaiman (edição #9), Dave Sim (edição #10) e Frank Miller (edição #11). Esta história toda está super bem contada nesta outra matéria do site, vale a pena ler pois existe revelações de “explodir a cabeça” sobre quem-escreveu-o-quê.

Eis que na edição SPAWN #9, e por consequente depois, nas edições SPAWN #14 e SPAWN #15, fomos apresentados à um novo personagem, de um outro tempo remoto. O nome deste novo personagem é Spawn Medieval. Há um momento da história que ele é chamado também de Spawn-Wizard (ou Spawn-Feiticeiro, mas estes detalhes podem ser conferidos de perto clicando aqui nessa outra matéria).

Tudo começou com o Spawn Medieval!

Todas as principais versões do Spawn Medieval!

Mesmo que o Spawn Medieval seja um soldado do inferno do passado, de uma outra época, porém da mesma realidade onde existe o “nosso” Spawn, ele se encaixa dentro do que podemos chamar de “universo existencial dos hellspawns“. Porque o que aconteceu com este personagem foi que ele acabou tendo sua origem recontada na revista em quadrinho que vinha junto com o boneco (action figure) lançado pela Todd Toys – rebatizada depois para McFarlane Toys (mas estes detalhes você também pode conferir clicando nesta outra matéria, sobre o mito dos hellspawns). Se existe uma nova origem para ele, teoricamente, existem duas versões dele coexistindo em algum lugar.

Podemos considerar o Spawn Medieval como sendo o primeiro personagem dentro desse multiverso pois, além destas primeiras versões diferentes da revista mensal e da revista do action figure, ele reapareceu numa segunda minissérie junto com a Witchblade lançado em 2018 (não na primeira de 1996), com outro nome e com outra armadura!

Para fechar com chave de ouro, não podemos esquecer que esta última mudança aconteceu por causa justamente do processo que estava acontecendo na justiça, com os personagens co-criados por Neil Gaiman (Ângela, Cogliostro e Spawn Medieval), mas no final apenas a Ângela ficou totalmente fora da Image Comics, permitindo que Todd continuasse a usar os personagens. Porém, ele acabou alterando aspectos deles. Além disso, só pro caldo ficar mais quente, na edição SPAWN #303 uma nova versão do Spawn Medieval voltou aparecer!

Quem faz parte do Spawnverso?

Esta é uma boa pergunta! Ainda não temos muitas informações concretas e oficiais, mas segundo foi mostrado – e já comentamos por aqui – o conceito do “Spawnverso” começou a partir da edição histórica SPAWN #300 e na edição que quebrou o recorde (conforme já noticiamos aqui), seguindo mesmo da SPAWN #301 em diante…

Neste caso, praticamente todos os outros Spawns que já foram mostrados nas revistas (desde na principal mensal, nas minisséries especiais, como Godslayer e spin-offs, como The Dark Ages). Com isso, também, todos aqueles que estão listados nesta matéria, explicando sobre o mito dos hellspawns – clique aqui – fazem parte deste Spawnverso!

Al Simmons, o Spawn Principal desde a revista número 1, é o único que conseguiu evoluir o traje simbionte K7-Leetha em tão pouco tempo, além de ser o único que pode ser um Spawn sem a necessidade de um traje, como visto a partir da edição 300. Uma de suas novas habilidades é conseguir alterar a forma do traje, mudando para qualquer uma das três versões acima.

Agora o nosso “Spawn principal”, Al Simmons, pode fazer um tipo de acesso entre dimensões para se comunicar com todos os outros Spawns que já existiram (e vão existir), tanto de outras épocas quanto de outras realidades. Todos os Spawns que “existem ao redor do globo” são parte deste universo compartilhado, conforme foi dito nesta cena abaixo, retirado das páginas de Spawn 301.

Spawn Medieval, Spawn Pistoleiro, Skullspliter (leia mais sobre ele aqui), Spawn Mandarim, Mulher-Spawn e no último quadro temos um “não identificado”, que talvez poderia ser este novo personagem que o Todd desenhou para a capa misteriosa (descrito no início da matéria).
No final da edição 301 temos uma nova versão do Spawn Ninja, que saiu diretamente do universo das actions-figures da McFarlane Toys.

Desta maneira podemos perceber que o Todd, a partir de agora, usará praticamente todos os personagens que já apareceram em suas linhas de actions figures para entrar nesse Spawnverso.

Praticamente ele está usando muito do que saiu na linha chamada Alternate Realities (Realidades Alternativas). Exatamente como foi o caso do Spawn Pistoleiro, Spawn Mandarim e este Skullspliter – da série 22 The Viking Age que estão na imagem acima – todos são figuras de ação da McFarlane Toys!

Qualquer nova informação iremos manter atualizado o nosso site. Fique de olho você, soldado do oitavo círculo!


Siga o Spawn Brasil em nossas redes sociais:

Grupo do Facebook – https://facebook.com/groups/spawnbrasil

Fanpage – https://facebook.com/spawnbrasil

YouTube – http://youtube.com/spawnbrasiloficial

Instagram – @spawnbrasil

Deixe o seu comentário