Se existe uma coisa icônica sobre o personagem Spawn é sem dúvida alguma acerca do seu visual. Todd McFarlane ainda na sua adolescência, aos 16 anos em 1977, fez seu primeiro rascunho do que viria a ser o simbionte mais famoso dos quadrinhos ‒ ironicamente ele co-criou outro simbionte famoso dos quadrinhos, o uniforme do Venom.

A primeira aparição do uniforme do Spawn. Ainda nesta época não era um simbionte.

Provavelmente a ideia do uniforme ser algo vivo e consciente, através de uma simbiose com o hospedeiro, só deve ter surgido no fim da década de 1980 e início dos anos 1990 quando ele reescreveu a origem do Spawn para a sua grande estréia na edição #1 de Maio de 1992, como sendo o segundo lançamento da então recém criada Image Comics.

Mas quem realmente se aprofundou na história da origem do uniforme simbionte do Spawn foi Alan Mooreaquele mago inglês que dispensa apresentações; roteirista das mais famosas histórias em quadrinhos de todos os tempos (Watchmen, V de Vingança, Monstro do Pântano, Miracleman, Do Inferno, Promethea e Providence).

Alan Moore escreveu algumas histórias para a revista mensal de Spawn. A primeira dela foi em Spawn #8, onde temos uma história sobre o paradeiro do personagem Billy Kincaid – após sua brutal morte em Spawn #5. Ele escreveu um prelúdio em Spawn #32, que seguia diretamente para a minissérie chamada Feudo de Sangue (Blood Feud). E também co-escreveu a edição de Spawn #37, uma história sobre o personagem Freak (Aberração).

Já na edição #8, Alan Moore expande a mitologia do personagem nos apresentando os 8 Círculos do Inferno (baseado no Inferno de Dante Alighieri) e mostrando um dos Irmãos Flebíacos chamado Vindicador. Este demônio, por sua vez, entrega a recém cria do inferno (hellspawn), Billy Kincaid, seu uniforme simbionte chamado K3-Myrlu.

É a primeira vez na revista do Spawn que ouvimos dizer que o uniforme é na verdade um ser consciente simbiótico e que possui um nome específico.

Cena de Spawn #8 onde Vindicador entrega o uniforme K3-Myrlu para o recém novo Hellspawn, Billy Kincaid.

Então na primeira edição da minissérie Feudo de Sangue, o mago ocultista Alan Moore nos apresenta finalmente o nome do uniforme do nosso querido Spawn, Al Simmons. O simbionte se chama K7-Leetha, e é dito que ela é a Filha da Sétima Casa de K… ou a 7ª Filha da Casa de K.

Mas afinal o que significa estas Casas de K?! Quantas casas existem?
Qual o significado do nome Leetha?! De onde surgiu este nome?

Nesta página dupla em Feudo de Sangue, descobrimos pela primeira vez o nome do uniforme do Spawn, a simbionte filha da 7ª Casa de K, chamada K7-Leetha.

Realmente a origem do nome é uma informação que não temos como saber ao certo pois isso não foi muito explorado nos quadrinhos, ou melhor, não foi muito esmiuçado esta questão, até mesmo sobre as Casas de K ou das Filhas de K. O único roteirista que escreveu sobre isso foi Alan Moore e eu duvido muito que ele volte a escrever Spawn algum dia (acho que ele mesmo já anunciou a aposentadoria do mundo dos quadrinhos). Talvez agora que a edição mensal está chegando na marca do número 300 e estão recapitulando toda a história do personagem, quem sabe não possa surgir novidades?! Afinal, a história dele ainda está sendo contada.

Entretanto, como nós do Spawn Brasil somos especialistas no personagem e sempre estamos trazendo o melhor conteúdo para vocês fãs, após muitas pesquisas chegamos à algumas conclusões sobre o nome K7-Leetha:

• A palavra leetha provavelmente vem da palavra em inglês “lethal”, que significa letal e está ligado com o termo“armamento”, afinal, o simbionte é também uma espécie de arma para o hellspawn hospedeiro.

• O nome Leetha também lembra o nome Lilith, que seria a mãe primordial, a mulher antes da Eva, a primeira “cria descartada” (ou desovada, que em inglês traduzimos como “spawn”), e que pode ser a própria serpente que enganou a Eva, segundo o mito Judaico-Cristão. Como Lilith é a mãe, então podemos deduzir que Leetha seria a filha de Lilith, assim como Myrlu, ou seja, Leetha a 7ª Filha e Myrlu a 3ª Filha. Podemos até teorizar que quanto maior o nível da “filha”, maior o poder e habilidade o uniforme terá.

• Sobre o termo Casa de K, é uma referência ao chamado de legado das dinastias de famílias, igualmente vemos na história do Superman, onde ele é apresentado como “O Último Filho de Kripton da Casa de El”.

• A respeito da partícula K, está ligado etimologicamente com o símbolo de força/vontade usado no idioma Japonês (e também no Chinês), na qual a pronúncia é “ki” ou “chi” (também podendo ser traduzido como energia vital). Além disso, no idioma japonês, o símbolo em katakaná para o ideograma カ (ka) possui a fonética de “ká”. Isto quer dizer que o simbionte/uniforme é a energia vital, a força para o usuário hospedeiro hellspawn.

• O uso do termo também é bastante usado na mitologia criada pelo Stephen King na saga A Torre Negra (The Dark Tower), onde eles falam muito sobre o “ka” sendo uma ideia, uma filosofia, uma consciência, um dever, um destino a seguir, significa força da vida e também “um lugar para o qual um indivíduo deve ir”. Isso corrobora bastante com a ideia de casa, e para aqueles que já leram a obra, este termo dá uma noção de família, quando eles se referem a isso utilizando a partícula “ka-tet” .

• Sobre ser da Sétima Casa, pode ter muita referência à numerologia da cabala, pois o número 7 em muitas religiões é considerado um número místico. Ele indica o processo de passagem do desconhecido para o conhecido… Além disso, também é representado pela soma dos números 3 + 4 (resultando em 7), sendo o primeiro o número a representação da trindade católica e o segundo o número que representa o quadrado dos quatro elementais (água, ar, fogo e terra).

Cena da minissérie Feudo de Sangue onde o simbionte K7-Leetha finalmente reencontra seu hospedeiro hellspawn, o Al Simmons.

Esperamos que após esta leitura do artigo vocês fãs possam ter uma boa base para tirarem suas próprias conclusões a respeito da origem do nome K7-Leetha, o simbionte do Spawn.

Só lembrando que cada novo hellspawn recebe um simbionte diferente, ou seja, possui um nome diferente também. Em outro artigo podemos detalhar sobre os poderes que um Spawn pode possuir quando aliado a um simbionte desses.

Até o próximo artigo, Soldados do 8º Círculo!

Deixe o seu comentário