O filme Spawn: The Movie foi lançado em agosto de 1997 e chegou aqui com o nome de “Spawn: O Soldado do Inferno”. A direção ficou a cargo de Mark A.Z. Dippé, o roteiro foi escrito por Alan B. McElroy e foi estrelado por Michael Jai White, Martin Sheen, John Leguizamo, Nicol Williamson, Theresa Randle e D. B. Sweeney. Com duração de 96 minutos (1 hora e 36 minutos) o filme teve um orçamento de $45 milhões e arrecadou $87.8 milhões de dólares nas bilheterias, ficando atrás de filmes como: “Titanic”, “MIB – Homens de Preto”, “O Mentiroso”, “Força Aérea Um”, “Gênio Indomável”, “A Outra Face”, “Batman & Robin”, “Pânico 2”, “Contato”, “O Inferno de Dante” e “Advogado do Diabo”, mas ainda ficando na frente de outros lançamentos como: “Tropas Estelares”, “Austin Powers – Um Agente Nada Discreto”, “Velocidade Máxima 2”, “Alien: A Ressurreição”, “Mr. Bean – O Filme”, “Sete Anos no Tibet”, “Mortal Kombat: A Aniquilação”, “Férias Frustradas em Las Vegas”, “Esqueceram de Mim 3”, “Um Lobisomem Americano em Paris” e “Inimigo Íntimo”.

A gente já falou de uma outra grande curiosidade sobre o filme do Spawn aqui no site. Foi com relação sobre as versões lançadas no cinema e posteriormente em VHS, Laser Disc, DVD e Blu-ray. A versão do diretor acrescentou e modificou algumas cenas com relação a versão de cinema, totalizando aproximadamente 2 minutos a mais de cenas extras (aumentando para 1 hora e 38 minutos). Para quem quiser conferir este artigo, basta acessá-lo aqui.

Entretanto, aqui nesta matéria, iremos destrinchar outras curiosidades e segredos interessantes sobre o filme do Soldado do Inferno. Estamos aproveitando a inclusão do filme no catálogo da Netflix a partir do mês de junho de 2019 (que por sinal já havíamos noticiado aqui).

Assista ao vídeo abaixo ou continue lendo nosso artigo, que possui mais informações complementando o vídeo especial!

https://youtu.be/vbPBsEEx3FE

Vamos então a lista de curiosidades e segredos do filme SPAWN (1997):


1- Roteirista: A história do filme foi escrita por “Alan McElroy”, o mesmo roteirista que escreveria as histórias de “A Maldição do Spawn” (Curse of Spawn) e também assinava outras revistas do universo de Spawn, como por exemplo a série “The Undead”, ainda inédita no Brasil. McElroy é o homem por trás dos excelentes roteiros da aclamada animação produzida pelo canal a cabo HBO. Os episódios eram violentos e bem sombrios, classificado para maiores de 18 anos, era transmitido sempre depois da meia-noite. Alan McElroy também escreveu roteiro de filmes como “Resident Evil”, “Deixados para Trás”, “Halloween 4: O Retorno de Michael Myers” e desenvolveu a franquia “Pânico na Floresta” (Wrong Turn).

2- Escolha do ator protagonista: Foi o primeiro filme norte-americano de super-heróis a ter um ator afrodescendente a estrelar seu próprio filme. Michael Jai White foi escolhido para viver o papel de “Al Simmons”, que depois se tornaria a cria do inferno conhecida como Spawn! A lista de candidatos era grande: Wesley Snipes, Cuba Gooding Jr., Snoop Dogg, Tony Todd, Allen Payne, Denzel Washington, Samuel L. Jackson, Ving Rhames, Tupac Shakur, LL Cool J, e até Will Smith foram cogitados para o papel principal. Interessante notar que 15 dias depois, praticamente 2 semanas depois do lançamento de Spawn, em agosto de 1997, foi lançado outro filme de super-herói com um ator afrodescendente como protagonista. Estrelado por Shaquille O’Neal, o ex-jogador de basquete, ele fez o papel de “Aço” (Steel), personagem da DC Comics. Isso abriu portas para o desenvolvido de outros filmes do gênero, como o personagem da Marvel Comics “Blade”, de 1998, estrelado por Wesley Snipes e mais futuramente a invasão do gênero super-heróis nos cinema, a começar com o grande sucesso de “X-Men: O Filme”, de julho de 2000. Talvez o filme que culminou na volta dessa representação de atores afro-americanos no meio dos super-heróis foi “Pantera Negra”, de 2018.

3- Liberdade criativa e Merchandising: Todd McFarlane sentia que o estúdio não queria lhe dar muita liberdade criativa para este filme. A “Columbia Pictures” até chegou a entrar em contato com a “TMP” (Todd McFarlane Productions) logo que a revista em quadrinhos estreou, mas as negociações não foram para frente. Então ele acabou vendendo os direitos do personagem, para o estúdio “New Line Cinema” produzir o filme, por apenas $1 dólar! Em troca disso, ele pediu a liberdade criativa e todos os direitos de merchandising relacionados! Além disso, depois de muita decisão, eles escolheram que a faixa etária do filme seria para o público adolescente, para maiores de 13 anos (PG-13), justamente a faixa etária daqueles que mais liam e curtiam o Spawn nos quadrinhos. Ainda que a organização responsável pela classificação dos filmes, a “MPAA” (Motion Picture Association of America), pediu para que fizessem cerca de 100 cortes em diversas cenas do filme, para poderem lançar a versão PG-13 (Parental Guidance) que iria para os cinemas, sendo que a ideia de um filme R-rated (Restrict Rated), para maiores de 17 anos, foi o primeiro critério adotado por McFarlane para uma futura continuação, a ser estrelada por Jamie Foxx e Jeremy Renner (leia mais sobre o futuro novo filme aqui).

4- Efeitos Visuais e Computação Gráfica: Mesmo que hoje em dia os efeitos especiais do filme pareçam datados, mas para a época foi um grande avanço, por causa da complexidade e interatividade que as cenas exigiam. Era o que se tinha de mais avançado naquela época. Estes efeitos foram produzidos por vários estúdios ao mesmo tempo (22 companhias, entre Estados Unidos, Canadá e Japão), tendo forçado a New Line investir mais dinheiro, aumentando o orçamento de 20 milhões para 45 milhões. Mesmo com ótimos exemplos de filmes com excelentes efeitos visuais na carteira (como “Jurassic Park”, 1993 e “O Máskara”, 1994), a empresa “Industry Light and Magic” (ILM) ficou com a maioria dos efeitos para si. Vamos lembrar que filmes como “The Matrix“, “Star Wars: Episódio 1 – A Ameaça Fantasma” e, posteriormente, “O Senhor dos Anéis: A Sociedade dos Anel”, foram todos filmes que também tiveram grandes efeitos visuais gerados por computador, e só conseguiram o resultado visual que conhecemos pois foram produzidos após muitas experiências deste mercado, lançados em 1999 (‘SDA’ teve seu início de pré-produção iniciado 2 anos antes de 2001). Portanto o filme do Spawn foi um divisor de águas para a história da computação gráfica e um ótimo laboratório de aprendizagem para filmes que usariam CGI (sigla para Computer-generated imagery).
Todos os efeitos visuais do filme gerados por computador foram entregues apenas 2 semanas antes do lançamento do filme nos cinemas! Para terem uma ideia, “O” efeito visual mais caro da história da indústria da computação gráfica foi a cena da transformação do “Palhaço” (Clown) em “Violador”! Foi feita em parceria entre “KNB Efx Group” e “ILM Studios” e demorou 8 meses para ser concluída. Toda esta cena teve a supervisão de Steve ‘Spaz’ Williams, o mesmo que cuidou dos efeitos efeitos especiais do ”T-Rex” em “Jurassic Park”. E para não deixar de citar, aquelas cenas do inferno foram feitas por uma equipe (liderada por John Grower) da empresa “Santa Barbara Studios“.

5- Mudanças e diferenças com os quadrinhos: Por causa da separação dos personagens do selo de quadrinhos de Rob Liefeld, chamado “Extreme Studio”, do universo compartilhado da “Image Comics” em 1996, um dos personagens criados por ele, chamado “Capela” (Chapel), precisou ser removido da continuidade de histórias do Spawn. O motivo foi que nas edições 8 e 9 de Youngblood e nas edições 12 e 13 de Spawn, “Capela” foi apresentado como sendo o assassino do, então companheiro de agência secreta do governo, “Al Simmons” (a mando de “Jason Wynn”). Por causa dessa cisão, “Capela” não poderia ser mais usado dentro das histórias de Spawn e por isso eles criaram a personagem “Jessica Priest”, apresentada na edição 61 e com sua origem expandida nos números 12, 13 e 14 de “Curse of Spawn”, lançado no Brasil em “A Maldição de Spawn” números 8 a 10. Uma curiosidade sobre os nomes desses personagens: “capela” significa uma pequena igreja, já o nome “priest”, em inglês significa “sacerdote/padre/clérigo”, portanto estão correlacionados.
Apesar disso tudo ter acontecido nesta época, os personagens de “Youngblood” voltaram para “Image Comics” em 2017 (comemorando os 25 anos da editora), em uma nova série de quadrinhos escrita por Chad Bowers e desenhado por Jim Towe. E um pouco antes, em 2015, a partir da edição de “Spawn: Ressurreição”, “Capela” já estava sendo referenciado novamente como sendo o assassino do Spawn, porém não sendo mais citado seu nome.
Outra diferença bem aparente entre o filme e as histórias em quadrinhos, foi com relação a cor do personagem “Terry Fitzgerald”, amigo de “Al Simmons” que acabou ficando com a então viúva “Wanda Blake” e tendo uma filhinha chamada “Cyan”. Terry nos quadrinhos é um personagem negro, assim como Simmons, Wanda e Cyan, mas no filme optaram por usar um ator branco (Edward Norton foi considerado para o papel, mas acabou sendo chamado para outro filme, “Cartas na Mesa”, e então escalaram o ator D. B. Sweeney). O jornalista/roteirista de tv e quadrinhos afro-americano Selwyn Seyfu Hinds, em entrevista para o site Colorlines, declarou em 2017 “eu posso entender o que o estúdio ou os executivos de elenco poderiam ter dito naquela época, que se você colocasse mais dois personagens masculinos negros naquele filme, então, de repente, você estaria fazendo um ‘filme com núcleo de pessoas negras’ [black person movie], o que passaria uma impressão ou proposta diferente do que eles gostariam naquele momento”.

6- Aparições de personagens coadjuvantes dos quadrinhos: No filme aparecem alguns personagens que não ganharam destaque, mas apenas aqueles com olhos mais atentos puderam perceber que estavam lá, como uma forma de “easter egg” (ou “ovo de páscoa”, termo usado para designar a caça de tesouros ou surpresas escondidas por aí). Foi o caso desses personagens:
a) os âncoras de televisão, que apareceram muito rapidamente (a repórter asiática e aquele cara que sempre estava mudando de emissora), ainda numa cena mostra Terry sendo entrevistado pela âncora da “CNN”;
b) a personagem, co-criada por Neil Gaiman, “Ângela”, aparece brevemente com seu cabelo ruivo, vestido verde e brincos com aquele logo redondo do Spawn na cena da festa;
c) os policias/detetives “Sam & Twitch” levando “Jason Wynn” para a cadeia no final do filme;
d) e podemos citar aqui o próprio Todd McFarlane, em pessoa, aparecendo como um dos mendigos nos becos (em inglês, fazer aparições como sendo “ele mesmo” é chamado de cameo). Ele aparece logo depois da luta com o “Violador” no telhado, entregando uma arma ao “Spawn”.

Aqui vai um bônus! Falando em fazer um aparição como “ele mesmo” (como aconteceu com o tio Todd, citado no parágrafo anterior), recentemente tivemos um cameo do nosso personagem favorito! Foi um breve destaque, numa cena rápida do filme de Steven Spielberg, de 2018, chamado “Jogador Número 1” (Ready Player One). Foi bem nesta cena que você vê acima na imagem. Se prestar atenção verá que tem muitos outros personagens da cultura pop nesta cena e o filme inteiro está recheado de referências e homenagens… Fim do item bônus!

7- Diferenças no traje do Spawn: Apesar de ser uma ótima curiosidade, também podemos colocar isso como um erro de continuidade do filme. Durante várias cenas durante o filme inteiro, o uniforme do Spawn fica alternando entre duas versões. Sim, sabemos que ao longo do filme há momentos que ele tem espinhos nos ombros, que o desenho dos olhos mudam de formato, etc, mas não é bem isso que vamos comentar aqui. As diferenças do traje são percebidas por causa do formato do “M” branco e vermelho que aparece na parte da frente, em cima do peito dele. Em uma versão possui um desenho parecendo como se fossem ganchos e numa outra versão é mais reta, lembrando até os primeiros designs do seu traje simbionte.

8- Dublagens e Redublagens: Sabemos que a dublagem brasileira é considerada uma das melhores do mundo. Por existir vários estúdios de dublagens, alguns conseguem resultados melhores do que outros, assim como em qualquer empresa que há diversos tipos de profissionais trabalhando nela… Mas (felizmente ou infelizmente) uma redublagem pode acontecer, para um mesmo filme, por diversos motivos diferentes, porém não cabe aqui neste artigo entrar no mérito desta discussão… Com o filme do Spawn aconteceram 4 versões de dublagens distintas entre si!
Atualmente, a Netflix optou por escolher a dublagem feita no “Estúdio Marshmallow”, de São Paulo, que foi feita para dois canais da TV paga (TNT e Maxprime). O áudio dublado contido no disco de Blu-ray é a primeira versão feita pelo “Estúdio Wan Mächer” (leia-se “Van Márrer”) , do Rio de Janeiro, que também foi usada para a TV aberta (no “SBT”). Porém, este mesmo estúdio fez outra versão para ser usada na TV paga (canal a cabo “Paramount Channel”), e para o sistema de streaming concorrente da Netflix, a “HBO Plus”. O primeiro áudio dublado contido no disco de DVD e na versão dublada da fita de VHS, foi feita pelo estúdio “Clone”, de São Paulo. As diferenças entre todas essas versões dubladas podem ser conferidas no vídeo abaixo!

Abaixo colocamos a ficha técnica completa dos/as dubladores/as:

a) Estúdio Clone – Elenco de dublagem para VHS/DVD
Michael Jai White (Al Simmons/Spawn): Sérgio Moreno
John Leguizamo (O Palhaço): Silvio Navas
Martin Sheen (Jason Wynn): Carlos Campanile
Theresa Randle (Wanda Blake): Angélica Santos
Nicol Williamson (Cogliostro): Walter Breda
Melinda Clarke (Jessica Priest): Maralisi Tartarini
Miko Hughes (Zack): Úrsula Bezerra
Michael Papajohn (Pai do Zack): Gileno Santoro
Caroline Gibson (Âncora do jornal): Denise Reis
Locução e Placas: Francisco Borges
Vozes adicionais: Isabel de Sá, Wellington Lima

b) Estúdio Marshmallow – Elenco de dublagem para TV paga (TNT, Maxprime)/Netflix
Michael Jai White (Al Simmons/Spawn): Antônio Moreno
John Leguizano (O Palhaço): Hélio Vaccari
Martin Sheen (John Wynn): Fábio Vilalonga
Theresa Randle (Wanda Blake): Eleonora Prado
Nicol Williamson (Cogliostro): Luiz Carlos de Moraes
Melinda Clarke (Jessica Priest): Maralisi Tartarini
Frank Welker (Malebolgia – voz): Borges de Barros
Locução e Placas: Waldir de Oliveira
Vozes adicionais: Alfredo Rollo, Fábio Tomasini

c) Estúdio Van Mächer (primeira versão) – Elenco de dublagem para TV aberta (SBT)/Blu-ray
Michael Jai White (Al Simmons/Spawn): Maurício Berger
John Leguizamo (O Palhaço): Alexandre Moreno
Martin Sheen (Jason Wynn): Newton Da Matta
Theresa Randle (Wanda Blake): Lina Rossana
Nicol Williamson (Cogliostro): Márcio Simões
D.B. Sweeney (Terry Fitzgerald): Guilherme Briggs
Melinda Clarke (Jessica Priest): Mabel Cezar
Miko Hughes (Zack): Alexandre Drummond
Michael Papajohn (Pai do Zack): Francisco José
Syndni Beaudoin (Cyan): Flávia Fontenelle
Frank Welker (Malebolgia – voz): Leonardo José
Marc Robinson (Adorador de Satã nº 1): Felipe Grinnan
Chris Coppola (Adorador de Satã nº 2): Marcus Jardym
Jack Coleman (Médico): André Belizar
Garrison Singer (Anestesista): Pedro Eugênio
John Cothran (Africano): Jorge Rosa
Tony Haney (Africano): Ayrton Cardoso
Locução e Placas: Sérgio Fortuna
Vozes adicionais: Carlos Comério, Mário Cardoso, Paulo Vignolo, Samir Murad, Sumára Louise
Direção de dublagem: Leonardo José
Tradução: Renato Rosenberg

d) Estúdio Van Macher (segunda versão) – Elenco de dublagem para TV paga (Paramount Channel, HBO Plus)
Michael Jai White (Al Simmons/Spawn): Maurício Berger
John Leguizamo (O Palhaço): Alexandre Moreno
Martin Sheen (Jason Wynn): Mauro Ramos
Theresa Randle (Wanda Blake): Lina Rossana
Nicol Williamson (Cogliostro): Márcio Simões
D.B. Sweeney (Terry Fitzgerald): Guilherme Briggs
Melinda Clarke (Jessica Priest): Mabel Cezar
Frank Welker (Malebolgia – voz): Jorge Vasconcellos
Michael Papajohn (Pai do Zack): Marco Ribeiro
Locução e Placas: Sérgio Fortuna

9- Easter Egg no menu do DVD: Essa curiosidade fica exclusiva apenas para quem possui o DVD do filme importado (versão americana), pois não saiu na versão nacional. Infelizmente no Blu-ray o menu é estático, é muito simples… Existem algumas coisas que adicionaram como se fossem easter eggs. Na versão do Blu-ray você encontra um desses conteúdos escondidos, mas o easter egg em si não existe (não que eu tenham achado algum, hehehe).
Para chegar na área escondida, você deve acessar a opção de “Spawn Soundtrack” e dentro dessa área, clicar com o controle remoto com a seta da DIREITA (→), para assim encontrar o rosto do “Marilyn Manson” escondido. Ao clicar ENTER em cima do rosto dele selecionado você vai entra nessa área escondida do DVD, na qual vai lhe dar acesso a esses conteúdos exclusivos. A dica é você seguir os diabinhos entre as portas e só então verá algo surpreendente. Confira abaixo no vídeo gravado por @Leo Violador para saber o que é e como é!

10- Trilha Sonora: Não podemos terminar esta lista sem citar a incrível trilha sonora (soundtrack) do filme. A parte “incrível” para citar sobre a trilha sonora é porque todas as músicas são um mashup de vários artistas (mashup é um termo usado para designar quando há uma união, ou mescla, de duas ou mais músicas diferentes em uma só).
O álbum foi lançado em 29 de julho de 1997 (pelos selos “Sony“, “Immortal” e “Epic“), com duração total de 62′:11” (sem contar a faixa bônus). Contou com a colaboração conjunta entre músicos do estilo rock/metal, como: “Metallica”, “Korn”, Slayer”, “Marilyn Manson”, “Stabbing Westward”, “Filter”, “Soul Coughing” e “Silverchair”, e com músicos do estilo techno/eletrônica mais famosos da época, como: “The Crystal Method”, “Roni Size”, “The Prodigy”, “DJ Greyboy”, “Atari Teenage Riot”, “Moby”, “Orbital” e “808 State”. A canção original era produzida por um artista e eles chamavam um segundo artista pra complementar a finalização da mesma, quase um remix, mas sem ser remix! É uma regravação mesmo, algo bastante raro de se fazer na indústria fonográfica. A música “One Man Army”, é uma versão exclusiva que só saiu nessa trilha.
Os formatos lançados foram em K7 (compact cassette), CD (compact-disc), MD (MiniDisc) e LP (long-play, chamado também de disco de vinil ou bolachão para os íntimos). Houve também as versões especiais para colecionadores: LP duplo promocional, LP triplo vermelho, LP duplo azul relançamento, LP duplo preto relançamento… Cada capa é de uma edição “especial” diferente. A edição da versão brasileira acompanhou o lançamento da época e possui duas faixas extras (assim também como foi lançado em outros países). As edições com a capa do pôster clássico do filme não possuem essas faixas extras, somente as desenhadas.
A trilha sonora de “Spawn: The Album” estreou em 7º lugar na lista americana da “Billboard 200” e permaneceu assim por 25 semanas. O álbum também chegou a ganhar um “Disco de Ouro” por vender mais de 500 mil cópias na América do Norte.
Abaixo você confere a ficha técnica completa:

Faixa / TítuloCompositoresArtistasDuração
1 – “(Can’t You) Trip Like I Do”The Crystal Method and FilterThe Crystal Method and Filter4:30
2 – “Long Hard Road Out of Hell”Marilyn Manson, Twiggy RamirezMarilyn Manson and Sneaker Pimps4:21
3 – “Satan”Paul Hartnoll, Phil HartnollOrbital and Kirk Hammett3:45
4 – “Kick the P.A.”Korn, The Dust BrothersKorn and The Dust Brothers3:21
5 – “Tiny Rubberband”Butthole SurfersButthole Surfers and Moby4:12
6 – “For Whom the Bell Tolls (The Irony of It All)”Cliff Burton, James Hetfield, Lars UlrichMetallica and DJ Spooky4:39
7 – “Torn Apart”Stabbing Westward, Josh WinkStabbing Westward, Josh Wink4:53
8 – “Skin Up Pin Up”Paul Draper, Darren PartingtonMansun and 808 State5:27
9 – “One Man Army”Liam Howlett, Tom MorelloThe Prodigy and Tom Morello4:14
10 – “Spawn”Ben Gillies, Daniel JohnsSilverchair and Vitro4:28
11 – “T-4 Strain”Goldie, Henry RollinsHenry Rollins and Goldie5:19
12 – “Familiar”Brandon Boyd, Mike Einziger, Jose Antonio Pasillas II, Alex Katunich, Chris “DJ” KilmoreIncubus and DJ Greyboy3:22
13 – “No Remorse (I Wanna Die)”Jeff Hanneman, Kerry King, Alec Empire, Tom Araya, Hanin EliasSlayer and Atari Teenage Riot4:16
14 – “A Plane Scraped Its Belly on a Sooty Yellow Moon”Mark de Gli Antoni, Mike Doughty, Yuval Gabay, Roni Size, Sebastian SteinbergSoul Coughing and Roni Size5:26

Ainda existe uma faixa bônus de título “This Is Not A Dream” (The UK “Mix”), dos artistas “Morphine e Apollo 440″, com duração de 5′ 20”.

Menção honrosa – Adaptação oficial do filme em quadrinhos: Esta era uma prática muito comum e quase não vemos mais por aí. Muitos outros filmes baseado em histórias em quadrinhos ganharam versões para as HQs. Até engraçado pensar nisso: um filme baseado em uma HQ que depois ganha sua própria versão adaptada em HQ…
Depois do sucesso do filme eles lançaram, em dezembro de 1997, uma versão quadrinizada com aproximadamente 50 páginas, custando $4,95 no formato prestige, roteiro adaptado por Ted Adams, desenhos de Carlos D’Anda, arte-final de Mark Irwin, colorido por Alex Sinclair e letrerado por Amie Grenier. A HQ foi lançada pela “Image Comics” sob selo da “WildStorm”. Certamente um item raro de colecionador.

Menção honrosa 2 – Adaptação oficial do filme em romance (livro): Também é muito comum adaptarem a história de um filme em formato de livro, porém em muitos casos, ao reescreverem, eles acabam expandindo a história. O livro adaptado foi lançado em setembro de 1997, com 295 páginas pela Editora Avon. Foi escrito por Rob MacGregor a partir do roteiro original de Alan McElroy. Nem preciso dizer que este livro é também um dos itens mais raros de colecionador.


Outras trívias sobre o filme:

• Desde aquela época, “Todd McFarlane” já dizia interessado em fazer outro filme, porém menos enfatizado em efeitos especiais e sim mais nos personagens. Sabemos que a continuação ainda não saiu, mas como já noticiamos recentemente aqui no site, talvez esteja perto disso acontecer, bastando um sinal verde dos grandes estúdios. Leia mais sobre essa futura sequência aqui.

• O diretor “Tim Burton” foi cogitado para ser o diretor do filme antes da escolha final de “Mark Dippé”. Provavelmente a escolha de Burton se deve ao fato dos seus sucessos anteriores com os dois filmes do “Batman” (“Batman” de 1989 e “Batman Returns” de 1992), e talvez também porque ele estava trabalhando em um projeto para um novo filme da franquia “Superman” (chamado de “Superman Lives“, projeto nunca lançado, apenas virou lenda urbana por causa das fotos com “Nicolas Cage” vestido de homem de aço). Então escalaram o diretor “Alex Proyas”, por também já ter dirigido um filme com personagens dos quadrinhos, o aclamado “O Corvo” de 1994, aquele estrelado pelo filho do “Bruce Lee”, “Brandon Lee”, mas declinou o convite visto que começou a desenvolver seu projeto pessoal, o filme chamado “Cidade das Sombras“, de 1998.

• Segundo dizem, na cena em que o “Palhaço” comeu aquela pizza cheia de vermes, eles eram de verdade! John Leguizamo vomitou tudo logo depois que a cena terminou. E para quem ainda não percebeu, o ator precisou ficar andando agachado e de joelhos, em todas as cenas, para ficar da mesma estatura baixa do “Palhaço”.

• O ator que viveu “Jason Wynn”, Martin Sheen, disse que entrou para o elenco do filme pois sempre quis participar de um filme de super-heróis.

• Diferente do visual dos quadrinhos, o ator que viveu “Cogliostro”, Nicol Williamson, se recusou em deixar sua barba crescer e disse que não usaria uma falsa… pois iria parecer se muito falsa. Este foi o último trabalho do ator, que faleceu em 2011.

• O cachorrinho da “Cyan” no filme tem o mesmo nome/apelido em homenagem ao supervisor de efeitos visuais, Steve “Spaz” Williams.

• Tanto Michael Jai White quanto John Leguizamo diziam que os trajes dos seus personagens não eram nada confortáveis. A maquiagem demorava cerca de 3 horas para ficarem prontas, fazia muito calor e coçava demais! Leguizamo disse que houve uma certa vez que ele “precisou fazer o que precisava fazer” ali mesmo dentro da roupa de “Palhaço” (tanto que isso depois, de certa forma, virou uma piada no filme).

• A banda de heavy metal “Iced Earth”, que teve um álbum inteiro dedicado ao personagem Spawn no disco “The Dark Saga”, com capas desenhadas pelo próprio Todd McFarlane e Greg Capullo (e posteriormente virando capa da nossa edição número 49 brasileira), estiveram em contato com a “New Line Cinema” para fazer a trilha sonora do filme, mas como o álbum acabou se tornando apenas mashups de música techno/eletrônica, eles acabaram saindo do projeto.

• Houve um acidente com o dublê da moto durantes as cenas de perseguição entre o “Spawn” e o “Palhaço”, que estava num caminhão. Houve um impacto que não havia sido planejado e foi usado nas filmagens finais. Com sorte, no fim, ninguém saiu muito ferido.

• Aquela cena do começo do filme onde “Al Simmons” é morto por “Jason Wynn” e “Jessica Priest”, o ator Michael Jai White pegou fogo de verdade! Mas claro que ele foi amparado por bombeiros e teve todo um preparo especial (havia um gel protetor por todo seu corpo). Ninguém se machucou!


Referências, citações e homenagens a outros filmes:

Assim como acontece muitas vezes nos quadrinhos, deles fazerem referências e citações à alguma coisa da cultura pop, como por exemplo: na edição 9 aparece um Elvis Presley dentre os mendigos, e na edição 12 (número 11 no Brasil) aparecem os mendigos do beco cantando a música tema de abertura do desenho animado “Os Flintstones”; acontece também durante várias cenas do filme, em certos diálogos, deles citarem algum filme consagrado de Hollywood! Na maior parte são praticamente todas feitas pelo personagem Palhaço (The Clown).

Confira abaixo a lista que separamos:

O Mágico de Oz (1939)
O Palhaço diz a clássica frase “Não há lugar como nosso lar”.

A Felicidade Não se Compra (1946)
O Palhaço diz ao Spawn que ele vai ser o anjo Clarence e Spawn pode ser Jimmy Stewart. Então ele cita “sempre que um sino toca um anjo ganha asas”.

Lolita (1962)
O monstro Violador chama Cyan de “Lolita”.

O Bebê de Rosemary (1968)
Um grupo de adolescentes no cemitério gritam “Hail Satã”, como uma saudação, uma citação ao filme de 68.

O Exorcista (1973)
O bonequinho do Palhaço, que ele entrega para a Cyan (na cena da festa de aniversário), gira a cabeça em 360º assim como ocorre com a personagem Regan MacNeil, a garota possuída pelo demônio Pazuzu no filme e 73.
[Um pequeno parênteses: vocês notaram o adesivo do Palhaço pendurado no espelho retrovisor do carro da Wanda, quando ela está saindo de casa, logo no começo do filme?!]

Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (1975)
Há uma cena em que o Palhaço cita “Bring out your dead!“, “Tragam pra fora seus mortos” em tradução livre.

Saturday Night Live (1975) (Seriado de TV)
A série de TV é mencionada brevemente em um diálogo do filme.

Helter Skelter (1976)
Num momento do filme O Palhaço diz a Spawn “Helter Skelter’s coming down“.

Apocalypse Now (1979)
Há um diálogo do Palhaço que ele fala, “Eu amo o cheiro de asfalto queimado pela manhã!”, uma referência direta ao clássico filme “Apocalypse Now”, onde no original se diz “Eu amo o cheiro de napalm queimado pela manhã…”. Também há em outro momento, na cena após o tiroteio na festa, em que O Palhaço encontra com Jason Wynn e diz “Eu estava contando que o Spawn matasse você. Então você poderia pegar sua alma e dar início ao apocalipse agora”. Ele na verdade brincou com o fato de que o ator que fez Jason Wynn, Martin Sheen, atuou também no filme “Apocalypse Now”!

Star Wars, Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980)
Spawn chama Cogliostro de Yoda, quando ele vai testar seus poderes pela primeira vez.

O Iluminado (1980)
Em uma cena temos O Palhaço citando aquela cena clássica em que o personagem Jack Torrance diz “Here’s Johnny!”, porém aqui ele troca para “Here’s Clown-y!“.

Excalibur, a Espada do Poder (1981)
Na série animada de Spawn pela HBO, Cogliostro menciona que ele teve muitos nomes, um dos quais foi Merlin. Nicol Williamson (que interpretou Cogliostro no filme – sendo este seu último papel na sua carreira) fez o personagem Merlin no filme Excalibur em 1981.

Duro de Matar (1988)
Uma breve citação para “We need backup now, now damnit, now!“, em tradução livre seria “Precisamos de reforços agora, agora porcaria, agora!”.

Darkman: Vingança sem Rosto (1990)
Aqui a citação é mais sutil, pois Spawn fica aterrorizado com sua pele toda queimada e morta da mesma maneira que Darkman fez no filme de 1990.

O Pagamento Final (1993)
Numa cena entre Spawn e O Palhaço, ele diz “you’re HellSpawn to the max, that’s who you are!“, em tradução livre seria algo como “você é o HellSpawn, é isto que você é!”, do mesmo jeito que Benny Blanco fala para Carlito, neste filme de 93, na qual John Leguizamo também participa.

O Máskara (1994)
Mais uma citação visual, agora feita pela mesma empresa de efeitos visuais que trabalhou no filme “The Mask“, a ILM. Há uma cena em que os olhos do Palhaço saltam para fora (de uma forma bem estilo desenho animado), da mesma maneira que acontece com o personagem Máskara, no filme de 94.

Plantão Médico (1994) (Seriado de TV)
Existe uma citação à esta série de TV (estrelada por George Clooney, que já atuou como Batman nos cinemas), quando o Palhaço diz: “Not even the entire cast of ‘E.R.’ could put you back together“, ou em tradução livre seria algo como “Nem mesmo o elenco todo de ‘E.R’ poderia dar um jeito em você”.

Spawn: “Pô, Gog! Olha só que massa! Que artigo foi esse, brother?! Melhor matéria que já li sobre o meu filme. E você, o que quê achou?”
Cogliostro: “Eu nem li, só vi as imagens…”

Referências:

https://www.imdb.com/title/tt0120177/
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-7806/curiosidades/
https://en.wikipedia.org/wiki/Spawn_(1997_film)
https://www.boxofficemojo.com/yearly/chart/?yr=1997&p=.htm
https://sanojhumber.blogspot.com/2015/10/Spawn-1997-DUB.html
https://www.discogs.com/pt_BR/Various-Spawn-The-Album/release/1436019

Deixe o seu comentário