Normalmente a capa de uma edição é o chamariz para que um título de uma revista em quadrinhos seja bem sucedida em suas vendas. Quando este título tem uma ou mais capas variantes acaba virando uma festa entre os colecionadores hardcore pois não importa se ele possui a história repetida: o importante é ter a capa diferente.

No Brasil não temos a mesma tradição que nos Estados Unidos. Aqui as capas variantes são ignoradas ou então são publicadas em forma de pinups dentro das revistas, porém às vezes por questões técnicas nem sempre são publicadas as capas originais, sendo substituídas ora por uma arte interna ou por uma arte inédita feita por outro artista. A Editora Abril, por exemplo, fez muito isto durante sua trajetória nos títulos da Marvel, DC e também em Spawn. E estas edições com capas exclusivas, embora não tenham muito valor em nosso país, são itens muito disputados entre os colecionadores estrangeiros, principalmente os americanos.

Assim, vamos listar todos as edições que tiveram suas capas trocadas por aqui e assim poder fazer uma comparação entre o material original e o adaptado para o Brasil, porém não vamos listar capas que tiveram apenas o acréscimo de um subtítulo e manteve a arte original.


Edição #49

Por causa da proibição da publicação da edição #10 o Brasil, assim como outros países, ficou com uma numeração a menos em relação ao Estados Unidos. O problema só foi resolvido quando foi lançada a edição #50, que teve o dobro de páginas já que foram compiladas duas histórias. Por aqui a Editora Abril dividiu as edições entre as edições #49 e #50. Como a capa da edição #49 original foi publicada na edição #48 foi usada a imagem que abre a segunda história da edição #50 original e que também foi arte do icônico CD da banda Iced Earth, The Dark Saga.

Capa da edição #49 brasileira usada na abertura da segunda história da edição 50 americana e que posteriormente foi capa do CD The Dark Saga, da banda Iced Earth
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #49 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa da edição #49 americana, que aqui no Brasil saiu como sendo da edição #48

Edição #65

A Abril criou uma confusão dos diabos (literalmente) com a publicação desta capa. Primeiro, ela pegou a capa original da edição #65 e publicou na edição #66. Já para a capa da edição #65 brasileira foi inserida uma arte interna feita por Greg Capullo. E quanto à capa original da edição #66? Esta nunca foi publicada.

Capa da edição #65 brasileira, substituindo a capa original.
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #65 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa da edição #65 americana, que aqui saiu na edição #66
Capa da edição #66 americana, inédita no Brasil

Edição #72

A edição #72 também teve a capa substituída pela Editora Abril, que preferiu usar uma splash page interna de Greg Capullo. Uma curiosidade é que parte da arte original desta capa foi retirada da edição #65 e usada no pôster que veio de brinde com o especial A Bíblia do Spawn, também publicado pela Abril.

Capa da edição #72 brasileira. Arte de Greg Capullo
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #72 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa original da edição #72. A parte inferior (Spawn com o morcego) virou um pôster que veio de brinde na Biblia do Spawn e as duas artes saíram da edição #65

Edição #88

A capa da edição #88 também foi substituída pela Editora Abril usando uma arte interna de Greg Capullo. A curiosidade fica para a capa original americana, que depois foi reproduzida como action figure e ficou conhecida como Spawn Halloween.

Capa brasileira da edição #88, arte de Greg Capullo. Uma curiosidade é que a Abril quebrou a regra e colocou a logo do título na parte inferior
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #88 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa original da edição #88, conhecida como Spawn Halloween
Spawn Series 24: The Classic Comic Covers Spawn i.088 (McFarlane Toys, 2003)

Edição #93

Na edição #93 a Editora Abril realizou uma alteração curiosa na arte original. Na capa americana Spawn é atacado por zumbis e entre eles há um bebê caindo do seu lado esquerdo. Talvez por achar a imagem forte, a editora decidiu censurar a cena e retirou o bebê.

Capa da edição 93 brasileira editada, onde o bebê do lado esquerdo da imagem foi retirado.
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa original da edição #93. Pode se ver o bebê sendo arremessado pra fora!

Edição #101

A edição #100 foi a primeira que teve capas variantes, e uma delas foi a de Alex Ross. No Brasil esta capa saiu na edição #101, substituindo a capa original desenhada por George Pérez.

Edição #115

A edição #115 foi mais uma que teve a capa original substituída por uma arte interna da revista, dessa vez de uma página do artista da época, Angel Medina.

Capa da edição #115 brasileira. Arte de Angel medina
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #115 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa original da edição #115. Arte de Greg Capullo e Todd McFarlane

Edição #126

Na edição #126 a Editora Abril fez algo bastante curioso: ela pegou a capa original e fez uma ampliação, como um zoom, e assim a arte original foi cortada. O motivo para terem feito isto são incertos.

Capa da edição #126 brasileira. Repare que em volta da imagem a arte foi cortada em relação à original
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa original da edição #126

Edição #139

Durante o arco em que Nyx vai ao Inferno para resgatar a alma de sua amiga Thea ela se transforma na Mulher-Spawn (She-Spawn no original) após roubar os poderes de Al Simmons. Na edição #139 brasileira a Editora Abril resolveu dar um destaque a ela usando uma splash page interna desenhada pela artista Nat Jones, responsável pela arte da história.

Capa brasileira da edição #139. Arte de Nat Jones
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição #139 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa original da edição #139. Arte de Greg Capullo

Edição #151

Quando a editora Pixel Media relançou Spawn após o cancelamento do título pela Editora Abril, ela continuou do ponto onde parou e, para celebrar o lançamento, preparou uma capa especial para a edição #151 com reserva de verniz sobre uma arte de Phillip Tan. Pela primeira vez a revista tinha sido lançada com uma capa variante assinada por um artista da revista no Brasil. O único ponto negativo ficou para a gramatura do papel usada na capa pois foi considerada muito fina. Já a capa oficial da edição americana foi distribuída como um mini-pôster para os fãs.

Capa da edição #151 brasileira. O interessante desta capa é que aberta ela se transformava em um mini-pôster
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa aberta da edição #151 brasileira formando uma espécie de mini-pôster
Capa da edição #151 brasileira, remasterizada em alta definição
Capa oficial da edição #151, desenhado por Philip Tan e arte final de Danny Miki, e que também quando aberta a capa forma um mini-pôster
Capa aberta da edição #151 americana

Spawn – Armagedom

Como forma de “se livrar” do encalhe das HQs de Spawn em seu depósito, a editora Pixel Media resolveu juntar várias edições em 3 encadernados e deu a eles o nome Spawn – Armagedom, porém estes volumes nada mais eram que edições que foram coladas uma nas outras, incluindo inclusive as capas e propagandas publicadas nas revistas originais com uma nova capa envolvendo tudo (sim, era um encadernado bem duvidoso, mas pelo preço valia a pena). Além disso, estes encadernados além terem um volume a mais que o original americano (foram apenas 2) cobriam as edições #151 a #165, diferente do original que ia das edições #150 a #164 – confira nesta matéria super completa a lista de todos os encadernados de Spawn, clicando aqui.

Já sobre as capas, a arte do volume 1 brasileiro é a mesma do volume 1 americano, com exceção de alguns elementos gráficos. Já nos volumes 2 e 3 brasileiros foram usadas as capas variantes da edição #150, com artes de Jim Lee e Phillip Tan. Já a arte do volume 2 americano nunca foi publicado no Brasil. Apesar disso, as capas brasileiras vieram como um brinde pôster também. Se quiser saber todos os brindes que já saíram no Brasil, clique nesta incrível matéria que escrevemos.

Capa americana do volume 2 de Spawn – Armageddom, inédita no Brasil. Arte de Greg Capullo
(Imagem: Spawn World)

Spawn: Ressurreição

Ao decidir lançar o primeiro encadernado a partir da edição #251, a editora New Order utilizou a capa alternativa do especial Spawn: Resurrection ignorando assim a capa do encadernado original, desenhado por Jonboy Meyers. Além da capa brasileira ter muito mais destaque graficamente, ela foi confeccionada em capa dura (ao contrário do original em papel cartão) e reserva de verniz no título. Confira aqui nossa resenha e um vídeo com a comparação entre as edições brasileira e importada. Compre já a sua!

Capa do encadernado brasileiro Spawn: Ressurreição. Nos Estados Unidos esta arte foi a capa alternativa do especial Spawn: Resurrection. Arte de Jonboy Meyers
Capa do encadernado americano Spawn: Resurrection. Arte de Jonboy Meyers
Capa oficial do especial Spawn: Resurrection. No Brasil esta arte virou pôster que veio de brinde no encadernado. Compre já sua edição aqui

A Bíblia do Spawn

Esta edição especial, que trazia a história dos personagens principais da revista, teve uma alteração drástica na capa. A revista original trazia uma arte como se fosse a capa de um livro antigo, dando a impressão de ser uma Bíblia mesmo. Para a edição brasileira a Editora Abril decidiu fazer um layout mais simples e encheu a capa de informações de seu conteúdo.

Capa da edição brasileira da Bíblia do Spawn. A Editora Abril preferiu enfatizar o conteúdo da edição com vários textos.
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Capa da edição americana de Spawn Bible, cujo design lembra o de um livro antigo

A Maldição do Spawn #10

A série A Maldição do Spawn, baseada em Curse of the Spawn, teve um lançamento meio bagunçado no Brasil. Além de ter sido publicada de forma incompleta, todas as edições foram publicadas com numeração diferente da original.

A edição #10 (correspondente à edição #14 americana) teve a particularidade de não só ter usado uma imagem interna de Jessica Priest, feita por Dwayne Turner, mas a Editora Abril pegou a mesma arte e a espelhou, deixando-a invertida da original.

Capa original da edição #14, que aqui saiu na edição #10
Capa da edição #10 brasileira
(Imagem: Guia dos Quadrinhos)
Página contendo a arte que serviu de base para a capa da edição brasileira. Observe que a Editora Abril inverteu-a para deixá-la diferente

Spawn: Livro dos Mortos

Como forma de atualizar as informações contidas em Spawn Bible, Todd McFarlane lançou Book of Dead, escrita por Steve Niles e arte de Ashley Wood. Ao chegar ao Brasil foi lançado pela editora Devir, o que causou certo estranhamento já que a editora licenciante da época era a Abril e até hoje não se sabe como foi feita esta negociação em separado (mesmo ela tendo lançado dois encadernados raríssimos para o mercado em Portugal, veja detalhes nesta matéria sobre a lista de encadernados).

Para a edição brasileira a Devir utilizou uma arte interna de Ashley Wood, ignorando a arte original, também do mesmo artista.

Capa da edição brasileira de Spawn: Livro dos Mortos, pela Devir
Capa original de Spawn: Book of the Dead

Spawn Collection

Esta coleção se destacou no Brasil pois, além de trazer uma fita VHS com episódios da série animada da HBO, vinha com uma revista contendo duas histórias da série clássica, totalizando 24 histórias. Nas capas a Editora Abril utilizou imagens de cenas de um episódio da série animada.

Capa da edição #1 de Spawn Collection. Cada uma delas trazia uma cena da série animada

Witchblade – Era das Trevas

A Pandora Books foi uma editora que teve vida curta no Brasil mas que publicou títulos importantes como Sin City, O Corvo, Groo, Astro City entre outros. E um dos títulos de destaque foi o crossover Medieval Spawn/Witchblade produzido pela Top Cow.

O motivo desta edição figurar na lista é que na época Spawn era publicado pela Editora Abril e com isto não era permitido usar o seu nome da capa da revista. A solução foi alterar o título para Witchblade: Era das Trevas.

Além disso, o próprio encadernado brasileiro também não seguiu o mesmo padrão utilizado no original americano. A Pandora Books utilizou um pinup que foi publicado na primeira edição da mini-série americana. A arte foi feita por Marc Silvestri.

E para finalizar nossa matéria, apensar de ter usado uma arte diferente na capa do encadernado, a Pandora Books também retirou um excelente pinup desenhado por Michael Turner (in memoriam), arte-final de D-Tron e cores de Jonathan Smith. Confira abaixo:

Pinup não publicado desenhado por Michael Turner, parte integrante da edição #2 original americana

Siga o Spawn Brasil em nossas redes sociais:

Grupo do Facebook – https://facebook.com/groups/spawnbrasil

Fanpage – https://facebook.com/spawnbrasil

YouTube – http://youtube.com/spawnbrasiloficial

Instagram – @spawnbrasil

Deixe o seu comentário