Lá nos EUA as encomendas antecipadas é algo comum de acontecer, e com base nisso as editoras já conseguem se programar com a quantidade de exemplares que precisam produzir e enviar. Todd McFarlane declarou para o site SyFy no final de maio que as encomendas para as comics shops americanas de Spawn’s Universe #1 (nova edição que marca a expansão do que a gente chamava de Spawnverso), estão muito boas! Na verdade, poderia estabelecer um novo recorde de vendas para a Image Comics (desde 1998 com o lançamento de Fathom), segundo o que o próprio Todd disse.

McFarlane explica que os primeiros pedidos para a edição one-shot de 64 páginas, ao valor de $5,99 – que chegará às lojas de quadrinhos dia 23 de junho – já somam bem mais de 100.000 pré-vendas, com um FOC (Final Order Cutoff, o que eu entendo ser um “limite de corte de venda por pedido”), realizado com ainda duas semanas de antecedência.

“Podemos dizer que, como as edições estão em tendência alta, temos uma parcela das maiores lojas de quadrinhos que estão esperando até o FOC para poder fazer seus pedidos”, disse Todd sobre os pedidos antecipados. “A matemática é fácil: o que você já tenha pedido antes, dobre a quantidade, pois assim você chega lá [no sentido de atender todos os fãs]. Então, se for verdade mesmo, sendo que é desta maneira que quase todos as nossas revistas da Image fazem, posso dizer então que Spawn’s Universe será disparado nosso maior novo lançamento do século 21!”

Abaixo conseguimos imagens exclusivas da nova edição. Teremos a apresentação individual dos personagens que farão parte da trama daqui pra frente.

A primeira arte é a atualização do novo Spawn Medieval por Stephen Segovia.

A próxima imagem é do brasileiro Marcio Takara, com o desenho da Mulher-Spawn (She-Spawn). Todd declarou que gostou tanto da imagem que muito provável que irá usar como uma futura capa.

A seguir temos uma das páginas do capítulo da história focado no Spawn Pistoleiro (Gunslinger Spawn), desenhado por Brett Booth. Ele disse que é um dos personagens favoritos. Seus desenhos tem um estilo ultra realista e detalhada além de uma postura bem agressiva que vai muito de encontro com a proposta da revista. “Ele tem esta jaqueta maneira, e assim como a icônica capa do Spawn, dá pra fazer muita coisa com isto.”, disse o Booth. “Então, na verdade, eu fiz a jaqueta dele um pouco mais longa, maior do que o Todd fez anteriormente. Mas o chapéu dele é um desafio e tanto de se fazer de primeira, justamente pra poder acertar o tamanho”, complementou o artista.

Booth disse que fazer o chapéu do Pistoleiro na escala adequada demorou um pouco mais do que o esperado. [O chapéu] tem uma proporção de uma cabeça e meia de altura, no máximo”, especificou ele. “Acho que é difícil desenhar porque ele é um chapéu muito alto e temos que colocá-los em painéis que, às vezes, não são compatíveis no tamanho… E aí acabo fazendo de maneira um pouco diferente do que normalmente faria, apenas para que pudesse colocá-lo no painel.”

Ele e McFarlane conversaram bastante durante o processo de criação da história do Pistoleiro e na capa do one-shot que Booth desenhou (dentro de Spawn’s Universe #1). Quando questionado sobre como é desenhar ao lado de um dos maiores artistas lendários da indústria, Booth disse que não era o que a maioria das pessoas esperava. “Todd meio que deixa você solto para fazer suas coisas, não é controlador. Na verdade, ele é bem descontraído”, disse ele. “O maior problema é que eu faço muitos planos de fundo e adiciono coisas [a uma página] e ele está sempre me dizendo: “Não, não, preciso de espaço para os diálogos”. Ele não quer que eu tenha tanto trabalho em desenhar fundos. Só que isso é a coisa mais difícil para mim de fazer. Porque não gosto de espaços em branco. E eu sei, como artista, você deve usar espaços negativos e todas essas outras coisas que ele diz. Ainda sim, só isso me incomodou.”

McFarlane confirma isso em uma outra entrevista que deu, e explica por que os famosos lápis detalhados de Booth o deixam maluco. “Eu digo isso como um jeito carinhoso: Brett Booth é um maníaco.”, disse o co-fundador da Image Comics em tom de brincadeira. “Estou pasmo com o que ele coloca naquela página! Cada página que ele me envia, eu fico tipo, ‘Oh meu Deus, Brett, pensei que já tínhamos tido esta conversa antes.’ ”

Todd ainda acrescenta que Booth desenha como se ainda fosse um artista de 20 anos tentando entrar no mercado. “Vejo suas páginas e são iguais o trabalho de um jovem que só tem entusiasmo e energia, e que desenha 20 horas por dia. Não é assim que os mais velhos desenham (risos). Na verdade, começamos a nos controlar à medida que envelhecemos.”

Jim Cheung é outro artista de sucesso que McFarlane convenceu a se juntar ao time para sua grande expansão do Universo de Spawn. Cheung tinha uma perspectiva um pouco diferente de como desenhar os enredos que Todd trazia. “Eu diria que é mais difícil porque acho que um escritor/artista frequentemente visualiza a página enquanto escreve, então eles têm uma boa noção do visual que gostariam de ver”, disse Cheung. “A primeira vez que lidei com um roteiro de outro artista foi para a revista Uncanny X-Men, o roteiro era do grande Alan Davis [também desenhista]. Cada página desse roteiro gritava ‘Isso é muito Alan Davis’ para mim, e tudo que eu podia ver era a arte dele ali. Acabou se tornando uma questão beeeem difícil para eu conseguir desenhar, porque senti que tudo o que fizesse era de ‘segunda categoria’ em relação ao que achava que ele [Alan Davis] poderia fazer.”

Então, Jim Cheung comentou que o tipo de roteiro que o Todd escreve lhe permite uma grande liberdade artística, o que é uma mudança bem-vinda em relação ao seu trabalho mais recente que teve com o escritor Scott Snyder na Liga da Justiça, que tende a escrever no estilo de “roteiro completo” (algo que Todd criticou na última CCXP Worlds para uma entrevista inédita e exclusiva que deu ao Brasil, e que foi legendada pela equipe do Spawn Brasil). “Todd escreve no antigo estilo de enredo que a Marvel fazia. Então, muitas vezes, um único parágrafo é tudo o que tenho para basear uma página inteira”, comentou ele. “Isso deixa muito mais pra minha imaginação e me permite acompanhar a história de acordo com minhas próprias sensibilidades de como contar a história. É um grande contraste com, por exemplo, Scott Snyder que prefere escrever o roteiro completo. Só que aí há menos suposições envolvidas. Eu não me importo com nenhum dos dois tipos de métodos, mas depois de mais de 20 anos trabalhando com esse tipo de roteiros completos, levei um minuto para me livrar das ‘teias de aranha’ e me lembrar de como é lidar com a sua criatividade interna e os enredos novamente.”

Para quem ainda não viu, segue abaixo uma nova arte divulgada da arte de Jim Cheung para um dos capítulos de Spawn’s Universe sobre o Spawn Al Simmons junto do Cy-Gor. Anteriormente foram divulgadas outras páginas, que tudo leva a crer que seja do novo título Spawn’s Universe.

Para se inteirar de tudo, assista nosso vídeo abaixo com uma EXCLUSIVA do próprio Todd falando TUDO sobre este e os novos títulos de SPAWN que vão sair neste ano… O vídeo está legendado em português.

Sim, meus caros soldados, 2021 é o ano do Soldado do Inferno!


Siga o Spawn Brasil em nossas redes sociais:

Grupo do Facebook – https://facebook.com/groups/spawnbrasil

Fanpage – https://facebook.com/spawnbrasil

Instagram – https://instagram.com/spawnbrasil

YouTube – http://youtube.com/spawnbrasiloficial

Deixe o seu comentário