Personagens de Spawn no Mundo Real – Parte 2 – John Wayne Gacy

0
158
Gacy vestido como o palhaço Pogo

Continuando a série sobre pessoas e mitos reais que inspiraram Todd McFarlane a criar diversos personagens do universo de Spawn, hoje falarei sobre a possível inspiração para os personagens Palhaço e Billy Kincaid, cuja origem vem de um dos maiores assassinos seriais que os Estados Unidos conheceram: John Wayne Gacy Jr.

Gacy era cidadão exemplar na cidade de Chicago. Empresário no ramo da construção civil, casado, possuía dois filhos e era membro do Partido Democrata, além de ser muito religioso. Nas horas vagas costumava visitar hospitais e feiras vestido como o palhaço Pogo e assim divertia as crianças. Ninguém poderia suspeitar que por trás da fachada de um “cidadão exemplar” escondia uma mente insana e por vezes demoníaca.

Sua infância foi conturbada devido aos maus tratos cometidos pelo pai que vivia constantemente bêbado e o agredia, além de estuprá-lo. Apesar dos constantes ataques, Gacy o amava e tinha o objetivo de conseguir sua atenção. Em um destes ataques sofreu um sério traumatismo craniano e, com 17 anos, foi diagnosticado com uma rara doença cardíaca. Foi nesta época que começaram a surgir os seus distúrbios de personalidade onde criou 4 personalidades distintas: o empreiteiro, o palhaço, o político e o assassino, que era chamado de Jack Hanson. Além disto ele foi diagnosticado como esquizofrênico, paranoico, sociopata e multipolar.

Em 1978 a polícia local visitou a casa de Gacy em busca de informações sobre o desaparecimento de Robert Piest, 15 anos, que havia sumido de casa após sair para conversar sobre uma oferta de trabalho na construção civil. Como Gacy já tinha sido condenado em 1968 por sodomia, os policiais o trataram como suspeito, apesar do bom cidadão que aparentava ser. Após não obter nenhuma informação, um dos policiais sentiu um cheiro de algo podre que vinha de dentro da casa, o qual Gacy alegou ser problemas na tubulação de esgoto. Desconfiados, os policiais decidiram revistar a casa e, após ver que não teria condições de fuga, Gacy acabou confessando não só este crime, mas de outros que vinham ocorrendo desde 1972. Ao revirar o subsolo da casa foi encontrado um verdadeiro cemitério: cerca de 30 corpos foram exumados, quase todos adolescentes. Por falta de espaço na casa, vários outros também foram jogados em um rio próximo, além de haver um corpo enterrado no jardim.

Gacy após sua prisão

Ao ser interrogado, o “Palhaço Assassino” explicou o seu modus operandi: ele convidava jovens em bares e rodoviárias para sua casa com a promessa de dinheiro em troca de sexo ou oferta de emprego. Chegando lá ele os algemava, agredia-os e os estuprava, muita das vezes vestido como Pogo e recitando trechos da Bíblia. Ao término ele os estrangulava e depois os enterrava.

Condenado a 21 prisões perpétuas e 12 penas de morte, John Wayne Gacy Jr. morreu de injeção letal em 10 de maio de 1994. Durante o tempo que ficou na prisão ele passou a se dedicar a pintura e fez muitos quadros, a grande maioria com rostos de palhaço, e que hoje valem altíssimos no mercado de colecionadores.

Em 2003 foi lançado o filme Gacy, baseado na vida do assassino serial e dirigido por Clive Saunders.


Referências:

https://canalcienciascriminais.jusbrasil.com.br/artigos/321415271/john-wayne-gacy-o-palhaco-assassino

http://oaprendizverde.com.br/2014/05/16/20-anos-da-execucao-de-john-wayne-gacy-o-palhaco-assassin

Deixe o seu comentário